ReVITAliza: um olhar técnico sobre as enchentes

fevereiro 24, 2020 9:30 am

 

Desde o começo do ano tenho me preocupado com a falta de propostas técnicas efetivas em meio à destruição causada pelas enchentes. Não é admissível dizer que não há solução possível, que só resta rezar… Precisamos de soluções diferentes das que já existiam e que, por ineficientes, acabaram destruídas com a chuva.

Na última segunda conseguimos um passo importante rumo a um caderno de soluções para Belo Horizonte – a primeira reunião do grupo de trabalho ReVITAliza, que tem curadoria minha e do arquiteto e urbanista Leon Myssior (CASAMIRADOR), além do apoio da CDL BH e CMI/Secovi.

Qual é a ideia? Reunir um corpo exclusivamente técnico: com arquitetos, urbanistas, engenheiros e geólogos, que vão montar um plano de ações para revitalizar a cidade, destruída não somente pelas chuvas, mas também pelo mau planejamento e o desprezo pelas boas práticas de engenharia e ciência dado ao longo dos anos.

Resumindo: serão oito encontros com discussões técnicas, que chegarão a soluções para a cidade que já foram testadas pelo mundo e funcionaram. Nada de planos mirabolantes, devaneios ou experimentos – apenas intervenções que podem ser aplicadas com segurança e podem ajudar a resolver esse cenário de caos atual.

Os temas abordados pelo grupo passam pela drenagem, planejamento urbano e meio ambiente, bem como intervenções nas bacias hidrográficas e no tecido urbano – mais especificamente como: renaturalização parcial de cursos d’água, jardins de chuva, andabilidade, moradias populares no hipercentro e sistemas de monitoramento e alerta.

A ideia é que já no mês de abril o grupo possa apresentar esse caderno de soluções – inclusive com obras já orçadas – para a cidade de Belo Horizonte. O trabalho é complexo, mas tenho certeza: esse esforço conjunto de notáveis será primordial para a revitalização da nossa cidade.

 

Composição – ReVITAliza:

Alexandre Nagazawa – Arquiteto e Urbanista;

Cintia Gontijo – Arquiteta e Urbanista;

Edézio Teixeira de Carvalho – Geólogo;

Gustavo Rocha – Arquiteto e Urbanista;

Luiz Felipe de Farias – Arquiteto e Urbanista;

Márcia Maria Guimarães – Engenheira;

Mário Cicareli Pinheiro – Engenheiro;

Patrícia Helena Gambogi Boson – Engenheira;

Roberto Pereira – Arquiteto e Urbanista.

 

Texto originalmente publicado no jornal Hoje em Dia – 24/02/2020

Comentários