Os círculos que traçamos em volta de nós

dezembro 31, 2018 9:33 am

 

Como contei na última semana, por obra da administradora do escritório, que preparou uma atividade de final de ano envolvendo nossas famílias, recebi duas cartas que quis compartilhar ao longo das semanas de fim de ano, pelo amor que representam. A segunda delas foi escrita por minha mulher, que tem o coração do tamanho do mundo e consegue superar os meus vários defeitos para ver em mim uma pessoa melhor do que sou e, com isso, me estimula a perseguir essa visão:

“Mateus,
‘Um homem bom traça um círculo em volta de si e de sua família e a protege. Um homem generoso traça um círculo em volta de si, de sua família e de seus amigos e os protege. Um homem magnifico traça um círculo em volta de si, de sua família, dos seus amigos e de outras milhares de pessoas e as protege.’ Assim se refere Swami Paatra Shankara àquelas raras pessoas que saem de seu círculo mais restrito de convivência e decidem dedicar aos outros, ao mundo e ao Criador os seus dons e habilidades, o seu tempo e melhores esforços.

Creio que muitos vejam no Mateus o dinamismo, o rigor, a objetividade, a capacidade de lidar com múltiplas tarefas com uma competência assustadora. Muitos observam sua capacidade para o trabalho. Há quem o admire por sua inteligência e habilidade em transitar entre diferentes assuntos e ambientes. Penso que não há quem não se espante com sua capacidade de desafiar o tempo. Há muito o que falar de suas qualidades, bem como do peso e da responsabilidade que elas trazem.

Ele é tudo isso. Mas eu vejo sobretudo o que o move, que põe toda essa maravilhosa engrenagem em funcionamento: eu vejo o seu grande coração, um amor maior que o mundo, uma generosidade sem fim. Este é o meu marido, alguém que eu sempre soube que seria de muitos, que pertenceria ao mundo, e nunca só a mim. Por todas as outras qualidades – e defeitos – eu o admiro. Mas é por seu coração, que o torna magnífico, que eu o amo.

Te amo, marido. Estarei sempre ao seu lado cuidando do interior do seu círculo e ajudando-o a expandi-lo infinitamente, como infinita é sua capacidade de amar.

Christiana Renault”

Resolvi compartilhar essas cartas porque elas representam, de alguma forma, o que acredito ser a mensagem necessária para o final de ano: temos de superar nossas adversidades e dividir parte do que temos, seja tempo, dinheiro ou propósito, para tentar mudar a nossa realidade. O final de ano, ao menos ele, deve nos permitir refletir mais sobre os outros do que sobre nós e talvez as pessoas percebam como isso permite que os outros pensem mais nelas.

Que para 2019 possamos planejar círculos maiores e perseguir com coragem os sonhos que possam ser fruídos por mais do que apenas nós!

 

Texto originalmente publicado no jornal Hoje em Dia – 31/12/2018

Comentários