Parabéns à Infraero: Confins é mais uma obra que ficará pela metade

setembro 1, 2014 6:13 pm

Em mais uma demonstração de que o dinheiro público é tratado como se não valesse nada, as obras do aeroporto de Confins, depois de seis meses de atraso, serão devolvidas inacabadas, tendo já custado R$18 milhões a mais do que orçado.

As empreiteiras culpam a Infraero, a Infraero culpa as empreiteiras e, enquanto isso, o dinheiro público é jogado fora, sem que os serviços mínimos que se esperava estivessem sendo prestados sejam efetivamente entregues.

Distribuir culpas, a essa altura, é o que menos interessa. O problema, efetivamente, é a falta de estrutura do maior aeroporto de Minas Gerais e um dos mais importantes do país, obrigando os usuários a conviver com instalações provisórias e gambiarras.

Esse desgoverno irá impactar também a concessão da gestão do aeroporto, que estava vinculada às reformas que não serão entregues, obrigando renegociações que trarão, obviamente, mais prejuízos e atrasos.

A história vai se repetindo, enquanto a falta de planejamento e de compromisso com resultados continuam sendo as marcas da administração pública no Brasil, levando sempre ao desperdício de dinheiro e ao descrédito dos serviços públicos.

Enquanto prevalecer a lógica de que inaugurar a obra é mais importante do que entregar a obra, vamos continuar assim, com muita fotografia e maquete, mas pouca infraestrutura instalada…

No meio tempo, deixe que as pessoas continuem pagando por serviços de primeiro mundo e convivendo com isso que está por aí. Quem sabe, com tempo suficiente, não começamos a perceber que a culpa é nossa, ao continuar escolhendo quem é eleito para defender apenas seus próprios interesses, ao invés de trabalhar para quem os elege.

Comentários